Fale conosco pelo WhatsApp Siga-nos no Facebook Siga-nos no Instagram Siga-nos no Twitter Siga-nos no Youtube

PLANTÃO / CAMPANHA SALARIAL

Imprimir Notícia

Sem avanços nas negociações com a Fenaban

As nove rodadas de negociação entre bancários e Fenaban não tiveram grades avanços.

12/08/2022 às 09:48
ASCOM/SEEB-MA
A+
A-

Clique na foto para ampliá-la

As nove rodadas de negociação realizadas entre o Comando dos Bancários e a Fenaban (Federação dos Bancos) foram marcadas por pouquíssimos avanços.

MANIFESTAÇÕES
Por isso, os bancários do Maranhão começaram na segunda-feira (09/08) uma série de manifestações para cobrar dos banqueiros e do Governo Bolsonaro uma proposta digna na Campanha Salarial 2022. Na terça-feira, o ato foi realizado no Itaú da Rua da Paz, às 9h, no Centro. No dia 10/08, a mobilizção ocorreu no Santander da Praça João Lisboa, também na Capital. No dia 11/08, o protesto foi no Bradesco do Tirirical.

RETARDAMENTO DA ABERTURA DOS BANCOS NO ESTADO
Já nesta sexta-feira (12/08), houve o retardamento da abertura das agências bancárias em todo o Estado por até 2h, com concentração no BNB da Rua Grande, em São Luís, pelo fim da enrolação nas negociações!

REIVINDICAÇÕES NEGADAS
Desde julho, mês em que a pauta de reivindicações foi entregue à Fenaban, a Federação Nacional dos Bancos negou todas as reivindicações da categoria sobre o fim das demissões e da terceirização; o combate ao assédio moral e sexual; o teletrabalho; a segurança; a saúde e sobre as condições de trabalho.

APESAR DOS LUCROS EXORBITANTES
Tudo isso apesar do lucro de mais de R$ 132 bilhões obtido pelos bancos em 2021, bem como do "Bolsa Banqueiro", por meio do qual o Governo Bolsonaro doou mais de R$ 1,3 trilhão aos bancos para "enfrentar a pandemia". Um absurdo!

ENROLAÇÃO SOBRE REAJUSTES
Nas três últimas rodadas de negociação com a Fenaban, que tratariam sobre as cláusulas econômicas nos dias 4, 8 e 11 de agosto, mais enrolação! Os banqueiros simplesmente se recusaram a apresentar uma proposta de reajuste para os salários, vales, PLR e demais verbas salariais.

PROPOSTA SÓ SEMANA QUE VEM
Contudo, a Fenaban afirmou nesta quinta (11/08), que a proposta global deverá ser apresentada na próxima semana, no dia 15/08, com respostas sobre reajustes e pontos polêmicos da pauta, como o teletrabalho. A categoria exige que o tema seja incluído na CCT, com controle de jornada; intervalo para almoço no trabalho remoto; ajuda de custo; convocação para reuniões com, no mínimo, 24h de antecedência; equipamentos adequados para realizar o trabalho em casa, além de liberdade para as mulheres optarem se querem trabalhar presencialmente no banco ou em teletrabalho. Diante dessas demandas, a Fenaban alegou insegurança jurídica e, mais uma vez, não deu respostas concretas.

SEM CRISE PARA OS BANCOS
Segundo o presidente do SEEB-MA, Dielson Rodrigues, é hora de acabar com a enrolação e apresentar um proposta decente. "Afinal, para os bancos não há crise, só lucro. Enquanto isso, a categoria sofre com a inflação gerada por esse Governo incompetente e com a exploração dos banqueiros. Exigimos uma proposta até o dia 17/08, data em que as negociações se encerram. Caso contrário, não restará alternativa a não ser o das paralisações" - afirmou.

PRÓXIMA NEGOCIAÇÃO
A próxima rodada de negociação com a Federação dos Bancos está marcada para a próxima segunda-feira (15/08).

NOSSAS REIVINDICAÇÕES
Vale lembrar que os bancários do Maranhão reivindicam 35% de reajuste, PLR linear, reposição das perdas salariais, fim das demissões imotivadas, melhorias nos planos de saúde e previdência, entre outras pautas de caráter econômico e social. Por nenhum direito a menos, vamos à luta!

*** Matéria atualizada em 12/08/2022.

SAÚDE - CAT
ÁREA DO CLIENTE
SOBRE

Sindicato dos Bancários do Maranhão - SEEB/MA
Rua do Sol, 413/417, Centro – São Luís (MA)
E-mail: comunicacao@bancariosma.org.br
Telefones: (98) 3311-3500 / 3311-3513
Jurídico: (98) 98477-5789 / 3311-3516
Secretaria Geral: (98) 98477-8001
CNPJ: 06.299.549/0001-05
CEP: 65020-590

MENU RÁPIDO

© SEEB-MA. Sindicato dos Bancários do Maranhão. Gestão Trabalho, Resistência e Luta: por nenhum direito a menos!